Como evitar a gravidez?

Vida sexual ativa já não é mais privilégio dos adultos (solteiros, claro ;-)). Cada vez mais jovens, os sexualmente ativos estão às voltas com diversas dúvidas no campo sexual. Qual o tamanho ideal do pênis? Onde fica o Ponto G? Raspo ou deixo crescer? Mas a principal delas, no entanto, é sobre como evitar uma gravidez indesejada (óbvio, porque se fosse desejada ninguém evitaria, certo?).

Existem diversos métodos contraceptivos disponíveis, para todo o tipo de corpo, saúde, estado de emergência e bolso. Vou citar algumas, as principais, para que seja possível escolher uma delas, a mais adequada. Mas vale lembrar algo muito sério: mais importante que evitar uma gravidez, é passar longe das doenças sexualmente transmissíveis, ok? Então, tome cuidado sempre.

A camisinha, barreira contra fluidos

O método contraceptivo mais utilizado nos dias de hoje é a camisinha, ou camisa de vênus. Disponíveis nas versões masculina e feminina, além de diversos tipos e sabores imagináveis, o preservativo é praticamente imbatível. Funciona para barrar o esperma e evitar que ele entre em contato com o útero da mulher.

O preservativo masculino, mas barato, mais fácil de encontrar, colocar e menos incômodo, é uma “vestimenta” de material emborrachado e impermeável que se coloca no pênis. Vem enrolado para facilitar a colocação. Segura-se a ponta na cabeça do pênis já ereto e desenrola-se até o fim. A depender do tamanho do pênis, a camisinha pode não chegar até a base, mas não tem problema, basta ter cuidado para que ela não enrole de volta durante o ato sexual. Após o gozo, o homem deve remover a camisinha antes do pênis amolecer, para não correr riscos de vazamento. A versão feminina é colocada no fundo da vagina, momentos antes do ato sexual.

O preservativo não é 100% garantido, pois a presença de bolhas, a falta da lubrificação ou mal uso (interpretação livre) podem fazê-la estourar e aí, já era.

  • Prós: Barato, fácil de encontrar, usar e guardar, não precisa de receita médica e evita doenças sexualmente transmissíveis.
  • Contras: Pode causar alergia ao material ou lubrificante; Se mal colocado, é ineficaz.

Anticoncepcional, a pílula da memória

A pílula evita a gravidez através da estimulação hormonal dos ovários, impedindo a ovulação. Por tabela, serve para regular a menstruação e ainda previne contra algumas doenças benignas. O único mal da pílula é a lembrança, pois a mulher precisa ingerir 1 pílula diariamente, mais ou menos no mesmo horário, para ter a máxima eficácia.

Para tentar reduzir os riscos de esquecer de tomar a pílula, existem outras versões do hormônio. Pode ser em forma injetável, adesivo para a pele, anel vaginal e até implante sob a pele – um bastonete de 4cm que é colocado embaixo da pele que pode durar até 3 anos sem trocar.

  • Prós: ótima eficácia contraceptiva, previne contra algumas doenças, regula a menstruação, diminui as dores menstruais e ainda diminui a acne.
  • Contras: fácil esquecer (no caso da pílula), não previne contra DSTs, podem ocorrer incompatibilidades (consulte um ginecologista para saber a melhor opção para você).

Tabelinha, pra quem é bom de matemática

A tabelinha é como é conhecido o método de utilizar a data da menstruação para avaliar os períodos férteis da mulher. Mesmo para aquelas mulheres com ciclo menstrual regular como um relógio suíço, não é um método garantido, por isso eu não recomendo o uso quando existem outras opções disponíveis ou quando não há condições de arcar com uma gravidez indesejada.

  • Prós: sem contra-indicações médicas, natural, não afeta o organismo, fácil de calcular.
  • Contras: eficácia não garantida, não previne contra DSTs.

DIU – Dispositivo Intra-uterino

O DIU é um dispositivo implantado por um médico dentro do útero da mulher. Tem o formato de “T” e possui 2 formas de evitar a gravidez: diminui a possibilidade da fecundação do óvulo, afastando ou matando os espermatozóides; evita que o óvulo fecundado se fixe na parede do útero. Muitas pessoas e grupos condenam o uso do DIU por considerá-lo abortivo. Se o dispositivo falha em evitar a fecundação, impedir a fixação do óvulo já fecundado é considerado aborto.

O DIU não pode ser utilizado por qualquer mulher e deve ser implantado por um médico. Consulte o ginecologista caso opte por esse método.

  • Prós: longa duração, evita problemas pelo uso de hormônios, não há como esquecer de usá-lo.
  • Contras: pode aumentar as dores menstruais, aumenta o fluxo da menstruação, não evita DSTs e há casos de gravidez de risco por conta do uso do DIU.

Abstinência sexual, essa é garantida

Não fazer sexo é a maneira mais garantida de evitar a gravidez. De quebra se evitam também as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

  • Prós: garantido, evita também DSTs.
  • Contras: chato, chato e chaaaato. ;-)

Mais informações: Métodos Contraceptivos

Androx. Vitalidade e potência sexual

Deixe o seu comentário

4 outros comentários em “Como evitar a gravidez?

  1. scheldon disse:

    Anti-concepcional???
    minha filha, sabia que essa porcaria ferra mais o seu organismo que a maioria do esteroides e bebidas alcoólicas???
    porque não fala para as pessoas tomarem chumbo derretido logo de uma vez???

    • Manoel Netto disse:

      Scheldon,

      Todo hormônio faz isso, mesmo os naturais, que o próprio corpo produz, quando desregulados fazem um estrago dos infernos. Apesar disso, a pílula ainda é uma solução muito boa para contracepção, regulação do ciclo menstrual e prevenção de alguns tipos de câncer.

      Como todo medicamento, deve vir acompanhado de prescrição médica. O uso “por sua conta e risco” é bem isso. Por sua conta e risco.

      Abraço

  2. Rafael Kid disse:

    Com certeza a última opção pe bem chata…